MEC


«Um dia somei tudo o que faço para depois não me sentir culpado a tudo aquilo que faço para tentar suavizar as culpas que já sinto e o resultado foi todo o tempo que tenho.»

«dar às coisas a importância que realmente têm»

... três premissas importantes a seguir:

Saber avaliar os acontecimentos com uma visão ampla – Ter inteligência emocional para avaliar a situação no seu todo e de longe e não apenas um determinado episódio negativo.

Desdramatizar – Evitar converter um problema real num drama.

Ter uma reação proporcional ao acontecimento – para isso há que recorrer à aprendizagem ganha com a experiência de vida, um saber acumulado que foi sendo depositado ao longo da sua história e que lhe permite perceber a real importância das coisas e a reagir em conformidade.

Enrique Rojas


AS

"Felicidade ou paz nós as construímos ou destruímos; aqui, o nosso livre-arbítrio supera a fatalidade do mundo físico e do mundo do proceder; toda a experiência que vamos tendo, mesmo parecendo negativa, a podemos transformar em positiva" 

- Agostinho da Silva, Só Ajustamentos

da desilusão com cada vez mais

'A forma como as pessoas nos tratam é o Karma delas. A forma como reagimos é o nosso.'

Dalai Lama

dia da criança de cada um

"Mais que tudo quero ter
Pé bem firme em leve dança
Com todo o saber de adulto
Todo o brincar de criança"

~ Agostinho da Silva

Alimentar o Amor

Começar é fácil. Acabar é mais fácil ainda. Chega-se sempre à primeira frase, ao primeiro número da revista, ao primeiro mês de amor. Cada começo é uma mudança e o coração humano vicia-se em mudar. Vicia-se na novidade do arranque, do início, da inauguração, da primeira linha na página branca, da luz e do barulho das portas a abrir. 
Começar é fácil. Acabar é mais fácil ainda. Por isso respeito cada vez menos estas actividades. Aprendi que o mais natural é criar e o mais difícil de tudo é continuar. A actividade que eu mais amo e respeito é a actividade de manter. 
Em Portugal quase tudo se resume a começos e a encerramentos. Arranca-se com qualquer coisa, de qualquer maneira, com todo o aparato. À mínima comichão aparece uma «iniciativa», que depois não tem prosseguimento ou perseverança e cai no esquecimento. Nem damos pela morte. 
É por isso que eu hoje respeito mais os continuadores que os criadores. Criadores não nos faltam. Chefes não nos faltam. Faltam-nos continuadores. Faltam-nos tenentes. Heróis não nos faltam. Faltam-nos guardiões. 

É como no amor. A manutenção do amor exige um cuidado maior. Qualquer palerma se apaixona, mas é preciso paciência para fazer perdurar uma paixão. O esforço de fazer continuar no tempo coisas que se julgam boas — sejam amores ou tradições, monumentos ou amizades — é o que distingue os seres humanos. O nascimento e a morte não têm valor — são os fados da animalidade. Procriar é bestial. O que é lindo é educar. 
Estou um pouco farto de revolucionários. Sei do que falo porque eu próprio sou revolucionário. Como toda a gente. Mudo quando posso e, apesar dos meus princípios, não suporto a autoridade. 

É tão fácil ser rebelde. Pica tão bem ser irreverente. Criar é tão giro. As pessoas adoram um gozão, um malcriado, um aventureiro. É o que eu sou. Estas crónicas provam-no. Mas queria que mostrassem também que não é isso que eu prezo e que não é só isso que eu sou. 
Se eu fosse forte, seria um verdadeiro conservador. Mudar é um instinto animal. Conservar, porque vai contra a natureza, é que é humano. Gosto mais de quem desenterra do que de quem planta. Gosto mais do arqueólogo do que do arquitecto. Gosto de académicos, de coleccionadores, de bibliotecários, de antologistas, de jardineiros. 

Percebo hoje a razão por que Auden disse que qualquer casamento duradoiro é mais apaixonante do que a mais acesa das paixões. Guardar é um trabalho custoso. As coisas têm uma tendência horrível para morrer. Salvá-las desse destino é a coisa mais bonita que se pode fazer. Haverá verbo mais bonito do que «salvaguardar»? É fácil uma pessoa bater com a porta, zangar-se e ir embora. O que é difícil é ficar. Isto ensinou-me o amor da minha vida, rapariga de esquerda, a mim, rapaz conservador. É por esta e por outras que eu lhe dedico este livro, que escrevi à sombra dela. 
Preservar é defender a alma do ataque da matéria e da animalidade. Deixadas sozinhas, as coisas amarelecem, apodrecem e morrem. Não há nada mais fácil do que esquecer o que já não existe. Começar do zero, ao contrário do que sempre pretenderam todos os revolucionários do mundo, é gratuito. Faz com que não seja preciso estudar, aprender, respeitar, absorver, continuar. Criar é fácil. As obras de arte criam-se como as galinhas. O difícil é continuar. 

Miguel Esteves Cardoso, in 'As Minhas Aventuras na República Portuguesa'

crescer com medo


de força

"Em mim tenho o mundo inteiro 
e mais que tudo as estrelas
é procurá-las no céu 
o que me impede de vê-las" 

– Agostinho da Silva, Quadras Inéditas, p.39.

Desassossego

haja o que houver

Apetece-me escrever, descrever, detalhar e libertar-me. Não me apetece falar, o som das palavras ditas magoa-me. 

Sei tão pouco de mim, do mundo e de mim no mundo. Sei que me falta e eu cuido-me com o que tenho, lambendo as feridas como um gato, escrevendo-as. 

O que aos outros cabe no meu caminho não interessa, porque a actuação de cada um é livre. E eu respeito. Não vou pedir satisfações, chamar a atenção, mendigar... isso faço com as minhas crias porque me compete prepara-las para o futuro, que será duro e só a sua força interna o poderá amaciar.

Ainda bem que crescemos, que o tempo não pára, que vemos de cima do nosso alto. Ainda bem que nos desiludem para vermos quem nos merece. Ainda bem que nos mentem para apostarmos nos autênticos.

Tive a sorte dentro do azar de não encontrar (ainda) para poder experienciar. Ver que o caminho se é difícil tem um significado e não é que seja o errado é o que estava destinado. Cabe-me a mim escrever as minhas feridas e cuidar-me mesmo sabendo estando no precipício. 

Cabe-me só a mim. 

Foi isso que a vida me ensinou até hoje. 
Que até hoje cabe-me só a mim, sem esperar, sem  pressa, sem forçar, sem pedir...
Cabe-me só a mim acreditar que um dia vem e tudo ficará completo. 

Age is just a number #36 and counting


'Pára de te tentares curar, de te tentares corrigir, até sequer, de ficares iluminado. 
Pára de pôr para a frente o filme da tua vida. Fica aqui. 
A tua dor, a tua tristeza, as tuas dúvidas, os teus medos, eles não são erros, e eles não estão à procura de serem curados, mas de serem aceites. Aqui, agora, nos braços amorosos da tua presença consciente.'

Jeff Foster


Th1rteen R3asons Why

Convido todos os Pais mas principalmente todos os Colegas, Amigos, Professores, Auxiliares, Psicologos e Diretores Escolares a assistirem a serie de televisão americana "Th1rteen R3asons Why". O enredo gira em torno de uma estudante que se suicida após uma série ataques de bullying desvalorizados e incrivelmente aceites pela maioria da comunidade escolar. 


A 13 Reasons Why consegue falar do suicídio de forma franca, e levar a uma reflexão sobre o poder das pequenas coisas na vida daqueles que nos rodeiam.


A verdade é que o suicídio parece ser ainda um tema tabu em 2017. E se a suicídio juntarmos a palavra jovem, piora. Todos temos a nossa parte e "lavar as mãos" nunca será a melhor opção e o tempo pode não chegar a tempo.








Formação de Formadores


Inspiração

“O homem não nasce para trabalhar, nasce para criar, para ser o tal poeta à solta”.

~ Agostinho da Silva

I Learn by Going Where I Have to Go

"Tenho uma forma muito descarnada e demasiado afoita de viver, a que com pompa chamo frontalidade, que nem sempre é a forma mais prudente e avisada de estar na vida pelo elevadissimo preço que se paga, com a propria vida, todos e cada um dos dias, sobrando o tributo de se viver em paz e, sobretudo com a consciência tranquila" 

Assim me descrevo na perfeição com as palavras de alguém muito muito muito sábio e invulgar actualmente.

18.04.2014

"Dile que sí, aunque te estés muriendo de miedo, aunque después te arrepientas, porque de todos modos te vas a arrepentir toda la vida si le contestas que no".
Gabriel Garcia Márquez*

#forever18

Em busca...

“Uma rotina sólida promove um caminho bem conhecido para as nossas energias mentais e ajuda a evitar a tirania dos estados de espírito.”

Que a Gratidão e a Serenidade estejam comigo nestes 36

"Em tempos em que quase ninguém se olha nos olhos, em que a maioria das pessoas pouco se interessa pelo que não lhe diz respeito, só mesmo agradecendo àqueles que percebem nossas descrenças, indecisões, suspeitas, tudo o que nos paralisa, e gastam um pouco da sua energia conosco, insistindo."

Martha Medeiros

lisbon revisited 1923

"Queriam-me casado, fútil, quotidiano e tributável?
Queriam-me o contrário disto, o contrário de qualquer coisa?
Se eu fosse outra pessoa, fazia-lhes, a todos, a vontade.
Assim, como sou, tenham paciência!
Vão para o diabo sem mim,
Ou deixem-me ir sozinho para o diabo!
Para que havemos de ir juntos?"

Do Pessoa que sabe de pessoas📌

Sempre a aprender

“Aprendi que se pode conhecer bastante bem uma pessoa a partir da forma como ele ou ela reage em três situações: num dia de chuva, com bagagem perdida e na forma como desembaraça as luzes de Natal.” 

-Maya Angelou